segunda-feira, 20 de abril de 2009

Depressão

A ideia de que a depressão seja um sintoma social não significa que os depressivos devam ser tratados como casos sociológicos. Os depressivos devem ser escutados, como todos os que buscam a psicanálise, um a um. Assim, em sua singularidade irredutível, deve ser conduzida a análise dos depressivos - que passa, necessariamente, pela reversão da forma como cada um deles se deixou alienar (como todo sujeito, aliás) pelas formações hegemônicas do imaginário social.
(Maria Rita Kehl, entrevista a O Estado de São Paulo, 19/04/2009)

Nenhum comentário:

Postar um comentário